Mont Saint Michel, séculos de história em cenério de filme

Reconhecido como Patrimônio Mundial pela Unesco em 1979, o belíssimo Monte de Saint Michel vale um passeio para quem visita a região da Normandia na França. A ilha, que fica cercada na maré alta, parece um cenário de filme medieval. Andar pelas ruas estreitas e becos, subir ladeiras e escadarias até o topo do imponente monumento é como virar personagem de um filme e vivenciar séculos de história.

A entrada da Ilha – foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Localizado a 360 km de Paris, o conjunto das belíssimas construções parece um castelo medieval cercado pelo mar. Ao olhar de longe para o belo monumento no alto da montanha, imediatamente pensamos em reis e rainhas, palácios e contos de fadas. Na verdade, esse tesouro arquitetônico era habitado por monges beneditinos, frequentado por peregrinos e em seguida por prisioneiros, o que torna a história do Monte Saint Michel ainda mais interessante.

A entrada da fortaleza. Não parece um cenário de filme? foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Erguida sobre uma ilha rochosa, a imponente Igreja Pré-romana dos séculos XI e XV, tem uma arquitetura  impressionante e guarda histórias riquíssima de importantes eventos ao longo dos séculos. A história do monumento começa no ano 708, quando Aubert, o bispo de Avranches, decidiu construir um santuário após a terceira aparição do Arcanjo Miguel em seus sonhos.

A vista e a maré vazia – foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Consagrada em 709, a igreja rapidamente se converteu em importante centro de peregrinação, atraindo visitantes e peregrinos. Em 966, a pedido do Duque da Normandia, uma comunidade de monges beneditinos instalou-se no alto da montanha, onde foi fundado um monastério.

A imponente arquitetura do local – foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A  construção foi ampliada ainda mais entre os séculos 12 e 13. Durante a Guerra dos 100 anos, entre Inglaterra e França, o Monte Saint Michael provou ser uma grande fortaleza militar, quando suas muralhas e fortificações resistiram fortemente aos ataques ingleses. Depois da Revolução Francesa, o local foi usado como prisão.

Os arcos da gigantesca construção – foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje, essa é uma das atrações mais visitadas na França, depois de Paris. A fortaleza medieval abriga um vilarejo, um mosteiro e a abadia de Saint Michel. A ilha, cercada pelas maiores marés europeias, que sobem e descem rapidamente, deixam a atmosfera local com um ar ainda mais misterioso.

A vista de cima da Abadia – foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É possível se hospedar na ilha ou em hotéis nos arredores. Para quem  pretende visitar o local em um “bate e volta”, vale a pena passar um dia inteiro no vilarejo, chegar cedo, explorar as  ruas de pedra, se perder pelos seculares becos e vielas, passear pelas lojinhas e cafés,  curtir  as lindas casas da vila e observar o belo fenômeno da maré. A paisagem e o cenário são tão encantadores que compensam a subida das escadarias e ladeiras que levam à Abadia.

Um dos belos ângulos da Abadia – foto AP Garrido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Faça uma pausa no caminho, escolha um dos charmosos restaurantes para tomar um bom vinho e apreciar sem pressa a bela arquitetura com séculos de história até chegar no topo da montanha e se surpreender com a imponente construção da Abadia e as paisagens de perder o fôlego. Não deixe de experimentar os famosos e históricos  omeletes da Mère Poulard, programa gastronômico obrigatório para quem visita um dos mais famosos monumentos da França!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A jornalista Ana Paula Garrido viajou a convite da Atout France com chip de viagem Mysimtravel

Matéria original sobre a Normandia escrita para o Jornal Brasilturis

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *